Gaúchas na Copa.

Gaúchas na Copa.

3 de junho de 2019 0 Por Jogando Com Elas

(Foto: Lucas Figueiredo / CBF)

 

Andressinha: de Roque Gonzales para o mundo.

 

Natural de Roque Gonzales, cidade que fica a mais de 500 quilômetros da capital Porto Alegre, Andressa Cavalari Machry, conhecida como Andressinha, é uma das gaúchas convocada pelo técnico Vadão para a disputa da Copa do Mundo Feminina, que será realizada dos dias 7 de junho a 7 de julho, na França. E o Jogando Com Elas conta um pouco da trajetória da meio-campista da Seleção Brasileira e do Portland Thorns.

Nascida em 1º de maio de 1995, a gaúcha começou no futebol como a maioria das jogadoras, no meio de homens. Com oito anos, devido a falta de uma equipe somente de meninas na cidade, ela teve de entrar, para que pudesse disputar o torneio de futsal promovido pela prefeitura do município, no time masculino. Apesar da desconfiança e preconceito, Andressinha foi muito bem e ajudou seus companheiros a conquistar o campeonato. Começava ali, então, o caminho da jovem Roque-Gonzalense em busca de seu sonho.

Para ajudar a filha, seu Elizeu resolveu montar uma equipe de futebol feminino, na qual ele mesmo seria o treinador. O intuito era fazer com que Andressinha praticasse o esporte com garotas e, assim, fosse ganhando experiência no esporte. Deu certo. Em 2009, seis anos após a iniciativa do pai, a craque da família chegaria ao Pelotas, com apenas 14 anos, para o primeiro desafio de sua carreira. A passagem na equipe das Lobas – como é chamada a equipe feminina do Pelotas – foi rápida, mas lhe rendeu bons frutos. No ano seguinte, se transferiria para a equipe do Kindermann, de Santa Catarina e ganharia espaço na Seleção Brasileira Sub-17.

(Foto: Divulgação / Nike)

No Kindermann, Andressa apareceu de vez para o futebol. Durante quatro temporadas, de 2010 a 2014, marcou gols, deu assistências, colecionou títulos e convocações para representar o Brasil em competições. No clube catarinense, foi tetracampeã estadual. Já pela Seleção, venceu os sulamericanos de 2010 e 2012 na categoria Sub-17, de 2012 e 2014 na Sub-20, sendo, nesta última, a artilheira com seis gols, e ainda uma Copa América pela principal. Assim, jogando um bom futebol, a primeira oportunidade de jogar no exterior chegou.

Foi no Houston Dash, do Texas, que Andressinha começou a mostrar seu talento em outro país. Em 2015, após disputar os jogos Pan-Americanos, onde conquistou o título pelo Brasil, a meio-campista foi anunciada pela equipe norte-americana, para atuar na fase final da campeonato nacional. A equipe terminou na 5ª colocação, não indo para os playoffs, mas as boas atuações lhe fizeram ser escolhida, em votação interna, a melhor jogadora jovem do clube. Andressa permaneceu no Houston até o início de 2018, quando foi contratada, em definitivo, pelo Portland Thorns.

Em meio a este período (desde a chegada no Houston Dash até a ida para o Portland Thorns), Andressinha passou por alguns outros clubes do Brasil. Em 2015, jogou o Campeonato Brasileiro pelo Tiradentes-PI, onde chegou até a semifinal com a equipe piauiense. A campanha lhe rendeu o prêmio de jogadora revelação da competição. Nos anos de 2017 e 2018, intercalando com a temporada no exterior, atuou pelo Iranduba-AM, onde disputou os campeonatos estadual, nacional e a Libertadores da categoria.

(Foto: Marcos Dantas)

Hoje, mais experiente, Andressinha se prepara para a segunda Copa do Mundo da carreira. Os títulos, premiações individuais, passagem pelo futebol nacional e internacional, e um longo período de atuação dentro da Seleção, fazem com que a gaúcha, orgulho da família e da pequena cidade onde nasceu, chegue para a disputa da competição como uma das principais jogadoras do elenco do técnico Vadão. Assim, junto a suas companheiras, vai atrás do título inédito para o Brasil.